Pular para o conteúdo
Voltar

Bombeiros do Futuro e Musicalizar recebem primeira dama e apresentam projetos

O projeto Bombeiros do Futuro, na Baixada Cuiabana, soma 150 alunos distribuídos nos pelotões de Poconé, Cristo Rei (Várzea Grande) e Ribeirão do Lipa (Cuiabá)
Augusto Pereira | CBMMT

Atividade integra projetos do Corpo de Bombeiros - Foto por: CBMMT
Atividade integra projetos do Corpo de Bombeiros
A | A

O 1º Batalhão de Bombeiros Militar recebeu nesta sexta-feira (08.11) a visita da primeira dama do Estado, Virgínia Mendes, para apresentar alguns dos projetos sociais desenvolvidos pela corporação. Na oportunidade, as crianças do projeto social Musicalizar fizeram uma apresentação de flauta doce.

Além do Musicalizar, que estiveram pela segunda vez no batalhão, os alunos do Bombeiros do Futuro do bairro Ribeirão do Lipa, de Cuiabá.

O projeto Bombeiros do Futuro, na Baixada Cuiabana, soma 150 alunos distribuídos nos pelotões de Poconé, Cristo Rei (Várzea Grande) e Ribeirão do Lipa (Cuiabá).

A diretora Maria Estevina, da Escola Municipal da Educação Básica Maria Tomich, conta que os alunos que participam do projeto estão mais atentos para a disciplina, justamente pelas noções de civismo aprendidas com os bombeiros. “Mesmo os que não estão no projeto buscam melhorar pela influência dos Bombeiros do Futuro”, afirma a educadora.

A primeira dama Virgínia Mendes assistiu a uma apresentação dos resultados dos projetos, com número de crianças alcançadas e atividades realizadas. Em seguida assistiu a uma apresentação dos alunos do Musicalizar, que apresentaram um trecho da 9º Sinfonia de Beethoven e uma música natalina que fará parte das comemorações de final de ano.

As boas vindas foram dadas pelo comandante do Batalhão Cacique, tenente-coronel Queiroz. “É uma satisfação receber a primeira dama, não somente no nosso quartel, mas especialmente para apresentar os projetos sociais que são tão importantes”.

O tenente Ednaldo Ferreira, coordenador de Projetos Sociais do CBMMT, contou que a intenção da corporação é alcançar mais crianças, mas para isso é preciso parcerias.

“Os estudantes do Musicalizar estão com duas músicas prontas para a apresentação. Parece pouco, mas isso foi desenvolvido junto com conceitos de teoria musical, cidadania, educação e respeito. Eles já se sentem incluídos em algo maior e muito nobre”, afirmou.

Fábia Cintra, mãe da aluna Beatriz (9 anos), conta que viu uma matéria na imprensa sobre as vagas para o Musicalizar e se interessou na participação da filha. Ela ainda comentou que a filha já tem um novo sonho de profissão, ser bombeira.

“Ela já participou de outro projeto musical, o Ciranda, mas ficava longe para nós. Quando vi o Musicalizar no Aecim Tocantins, vi que seria mais fácil por estar mais próximo”.

Beatriz conta que já sabia tocar, mas “com os bombeiros tem outras coisas para aprender e novas amizades”.