Pular para o conteúdo
Voltar

Antigo Hospital Central vai se tornar a Cidade da Saúde

Orçada em R$6,5 milhões, primeira parte da obra vai abrigar o Cridac

“Essa não é uma obra do Governo do Estado. É uma obra do povo de Mato Grosso”, destacou o governador Pedro Taques, no dia 17 de dezembo de 2015, ao lançar a retomada da obra do Hospital Central, iniciada há 30 anos. O evento contou com a participação de autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário. O projeto que visa a finalização das obras do Hospital Central é uma ação do Núcleo de Ações Voluntárias (NAV-MT), coordenado pela primeira-dama do Estado, Samira Martins.

A estrutura já existente no local vai abrigar o Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac). O prédio passará por reformas e adequações e a previsão de entrega é em setembro de 2016, compromisso que o governador fez questão de frisar durante a cerimônia. “Nós terminaremos esta obra. Não o governo. Não o Núcleo de Ações Voluntárias. Mas a sociedade mato-grossense”.

Isso porque a primeira fase da construção foi viabilizada graças a um acordo judicial que permitiu que uma associação sem fins lucrativos, formada por empresários de diversos setores, fossem responsáveis pelo empreendimento, orçado em R$ 6,5 milhões. Após a conclusão, os “Amigos do Hospital Central” farão a doação ao Estado.

Parcerias

Na busca por novos parceiros para viabilizar este, que é um dos grandes compromissos do Governo, a primeira-dama e voluntária do NAV-MT, Samira Martins, anunciou a contrapartida do Estado, que vai mobiliar, equipar e construir quatro piscinas para o tratamento de pacientes em reabilitação física.

“Há quase um ano, eu, o Pedro e o secretário Paulo Brustolin estamos sonhando este sonho. Nós queremos devolver à população mato-grossense um atendimento digno e, para mudar essa história, conto com a parceria de cada um de vocês”, destacou Samira.

A contribuição do secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, na busca por essas parcerias, foi lembrada. Ele lembrou de sua chegada à Cuiabá há 20 anos e da recordação de ver a obra parada durante todo esse tempo. “Se esta obra está parada, cada um de nós tem responsabilidade, porque muitas vezes viramos as costas para isso”, disse o secretário.

Cidade da Saúde

A obra será o pontapé inicial para a transformação da saúde pública de Mato Grosso. Além da sede do Cridac, o local também abrigará o Centro Estadual de Referência de Média e Alta Complexidades de Mato Grosso (Cermac), o Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso (Lacen), a Central de Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o Hemocentro e, por fim, o Hospital Materno Infantil. O complexo ganhou o nome de Cidade da Saúde.

“Este deixa de ser um ato simbólico e passa a ser um ato imediato que revela uma nova postura da saúde pública do Estado. Também precede o lançamento de outras obras que vão adequar o atendimento e acesso da população à saúde de qualidade”, avaliou o secretário de Estado de Saúde, Eduardo Bermudez.

A forma com que o Estado solucionou a determinação judicial resultante da ação civil pública do próprio Taques, quando procurador da República em 2003, só se tornou possível pela compreensão do Ministério Público Federal. Presente no lançamento, o procurador da República, Marco Antônio Ghannage Barbosa, destacou o trabalho do governo e das instituições envolvidas.

“Percebi dois aspectos dessa obra inacabada, que eu classifico como a parte feia dessa história. Um deles é a corrupção e outro os direitos fundamentais que não foram assegurados. Mas felizmente essa história ganha um novo rumo e parabenizo a todos que acreditaram na retomada deste trabalho”, destacou o procurador.

Com o desejo de transparência, Taques pediu que os ministérios públicos Federal e Estadual, além da imprensa, a atuarem na fiscalização da obra. E finalizou, destacando o período de mudanças que vive o estado. “Esta é uma das mais importantes ações e marca o Estado de transformação não do meu governo, mas da sociedade mato-grossense”.

Também estiveram presentes no evento o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo da Cunha, o presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Waldir Teis e o promotor de Justiça, Ezequiel Borges.