Pular para o conteúdo
Voltar

Bombeiros esclarecem procedimentos para atender queimadas urbanas

Augusto Pereira | CBMMT

Reunião CBM e Defesa Civil - Foto por: Augusto Pereira
Reunião CBM e Defesa Civil
A | A

Reunião realizada na sede do Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBMMT) nesta quarta-feira (26.07) avaliou a quantidade de ocorrências e atendimentos de queimadas urbanas no mês de julho em Cuiabá e Várzea Grande. Foram 798 ocorrências registradas pelo CBMMT, número muito superior às 548 ocorrências de incêndio registradas em 2016. Por isso a Defesa Civil de cada município foi chamada para avaliar as estratégias de atendimento.

A estratégia foi traçada antes do início da estação seca e consiste na estruturação de brigadas mistas equipadas para combate a incêndios florestais, mas que atuam no combate às queimadas urbanas. O Plano de Operações Conjuntas envolve as unidades de Defesa Civil e as Secretarias de Meio Ambiente municipais que estruturaram unidades avançadas localizadas no bairro do Verdão, no CPA e no Coxipó, em Cuiabá. Em Várzea Grande as duas unidades se localizam no 2º Comando Regional e no bairro Cristo Rei.

O compartilhamento de responsabilidades foi necessário porque as queimadas em terrenos urbanos não são de responsabilidade do Corpo de Bombeiros, mas das prefeituras municipais. Apesar disso o CBMMT não deixa de atender as ocorrências que causam transtornos à população. “Nossa experiência e equipamentos nos tornam a maior referência diante da população, mas não podemos atender a todas as ocorrências de queimadas porque existem ocorrências de naturezas diversas”, diz o Tenente Coronel Átila do Corpo de Bombeiros.

Por isso as brigadas mistas foram montadas, a partir da experiência positiva de municípios menores, em que foi registrada até 80% de redução de incêndios florestais. “Com treinamento e apoio estrutural do CBMMT montamos as brigadas com civis e bombeiros militares em que fornecemos uma caminhonete, carros pipa e brigadistas civis”, conta o Coronel BM Wolkmer, diretor da Defesa Civil da prefeitura de Cuiabá.

Para emergências com incêndios a orientação é ligar para o número 193, lá a triagem vai avaliar as características do incêndio e mobilizar a brigada mista ou uma guarnição convencional. O Major BM Barbosa, coordenador da Defesa Civil de Várzea Grande afirma que o uso do caminhão pipa tem sido muito eficaz no combate a queimadas urbanas, mas não é possível estar em todos os lugares. “Em Varzea Grande e em Cuiabá é proibido fazer queimada urbana em qualquer época do ano, quem souber quem realizou a queimada pode denunciar no número 190”, afirma o coordenador.

Mesmo com esse reforço, o número de queimadas está maior por atos irresponsáveis de alguns cidadãos, agravados pelas condições climáticas ainda mais secas neste ano, alerta o TC Átila. A parceria disponibiliza rádios comunicadores, alimentação, equipamentos e treinamento para os brigadistas oferecidos pelo CBMMT. Da parte das prefeituras são disponibilizados os brigadistas, caminhonetes e caminhões pipa.

Além dos citados também estiveram presentes o Agente da Defesa Civil de Cuiabá, Marcos Lenza, idealizador do Projeto Quadrante, que ativa as brigadas municipais, Edipson Morbec Jr, coordenador de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente de Várzea Grande e o Comandante do Comando Regional 1, Tenente-coronel BM Sandro Rogério Arruda.