IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Quarta, 27 de fevereiro de 2013, 17h00 | Tamanho do texto: A- A+

DESENVOLVIMENTO

MT participa da elaboração de plano para Ciência e Tecnologia na Amazônia Legal

GUILHERME BLATT
Redação/Secom-MT
A Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec) e a Fundação de Amparo a Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat) promoveram nesta quarta-feira (27.02) a Primeira Rodada de Consulta ao Estado de Mato Grosso sobre o Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação para a Amazônia Legal. O evento realizado no auditório da Federação das Indústrias tem o objetivo de discutir sugestões e ações para a elaboração deste plano.

O presidente da Fapemat, Flávio Teles, explica que o plano servirá para trilhar o caminho que os gestores deverão seguir na área da Ciência, Tecnologia e Inovação. “Essa é uma discussão antiga, capitaneada pelos secretários de Ciência da Amazônia Legal. Hoje nós vamos discutir e apresentar propostas para delimitar e delinear o plano. É um investimento de longo prazo, porque os gestores passam, mas o plano fica”, disse.

Henrique Villa, assessor do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), a instituição que coordena o encontro, explica que o plano é pensado para os próximos 20 anos. Para ele, este é um processo diferenciado, pois a elaboração do plano partiu da vontade dos gestores dos estados amazônicos, que levaram a ideia para o Ministério de Ciência e Tecnologia.

Mato Grosso é o primeiro estado a discutir o assunto. A CGEE irá percorrer todos os estados amazônicos colhendo propostas e a previsão de Henrique é que uma estrutura preliminar seja apresentado em julho. Então, será feita uma nova rodada em cada um dos estados, fazendo os acertos necessários para a versão final, que será entregue em outubro. “A ideia é divulgar, chamar a atenção dos parceiros nacionais e internacionais da área do fomento e desenvolvimento para o que a região amazônica quer”, diz.

Sobre a participação de Mato Grosso, Flávio Teles lembrou a necessidade do investimento nos recursos humanos, uma vez que o estado ainda carece de profissionais com doutorado. O secretário de Ciência e Tecnologia, Rafael Bastos, lembrou que Mato Grosso é um estado com características diferentes dos outros estados amazônicos e falou da necessidade de fortalecer o desenvolvimento sustentável. Ele ainda reforçou a importância de Mato Grosso estar inserido dentro de uma estratégia nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A rodada continuará na manhã desta quinta-feira (28.02), com oficinas e apresentações de propostas de Mato Grosso.

Mais sobre este assunto:

Últimas Notícias

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: