IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Sábado, 28 de dezembro de 2013, 09h00 | Tamanho do texto: A- A+

ENSINO FUNDAMENTAL

Mais Educação será ofertado em 375 escolas em 2014

ROSELI RIECHELMANN
Assessoria/Seduc-MT

O número de escolas estaduais que aderiram ao Programa Mais Educação para 2014 aumentou 20%. Além das 315 unidades que desenvolveram o Programa em 2013, outras 65 ingressarão no Sistema do Ministério da Educação (MEC), totalizando 375 unidades estaduais de Ensino Fundamental, nas áreas urbanas, campo e indígena.

 

Muitos são os motivos que inibem a adesão. O principal deles é a perda de prazo para o preenchimento da solicitação; falta de espaço na unidade ou no entorno da escola para o desenvolvimento das atividades; e ainda, algum problema administrativo que impede o encaminhamento de recursos para a escola. Porém, ao longo dos últimos cinco anos a participação das escolas tem sido significativa, saltando de oito unidades em 2008, para as 375 em 2014.

 

“Para além do fato de servirem merenda, de ser um espaço seguro para estudantes que vivem em regiões de grande vulnerabilidade, o Mais Educação tem como proposta fortalecer os conhecimento e a aprendizagem dos estudantes a partir de atividades recreativas e principalmente pedagógica” , destaca a coordenadora de Projetos Educativos da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Glaúcia Ribeiro.

 

O programa que atende a cerca de 80 mil estudantes de escolas estaduais, é um embrião da proposta de educação em tempo integral. No período em que estão na escola, crianças e adolescentes vivenciam novas experiências de aprendizado nas áreas desportivas, cultural, tecnológica e ambiental, além de receberem acompanhamento pedagógico.

 

A grande novidade do Programa em 2013 foi a fusão com outro Programa Federal, o Escola Aberta, que possibilitou integrar ações. Desde 2012, a escola que aderiu ao Mais Educação teve a oportunidade de optar em uma das abas do Sistema a implantação de atividades para trabalhar com a comunidade nos finais de semana.

 

A integração dos programas oportunizou atividades para além da comunidade escolar, interagindo num trabalho social com a comunidade do entorno da escola. O foco foi a economia solidária e cursos com cunho profissionalizante (cozinheira, doceira, manicure, bordadeiras, entre outros).

 

Os recursos do Mais Educação chegam na escola com base no número de alunos matriculados, por meio de adesão ao Sistema do MEC (Simec). Porém, para 2015, o repasse será com base no censo escolar como forma de consolidação da política de educação integral.

 

A coordenadora do Programa, professora Luzia Abich, considera o Mais Educação uma estratégia bastante eficiente “não só para indução da ampliação do tempo, mas para a concretização de uma escola com tempos e espaços atraentes, capaz de responder aos desafios educacionais do nosso século”.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: