Pular para o conteúdo

Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Voltar

Pró-Família beneficia mais de 30 mil mulheres mato-grossenses

As mulheres chefes de família representam 91% do público do programa.
Mel Mendes | Setas-MT

Jana Pessôa/Setas-MT
A | A

Entre os milhares de beneficiários do Programa Pró-Família, do Governo de Mato Grosso, 91% das famílias são chefiadas por mulheres. Dentre as mais de 73,5 mil pessoas inseridas no programa, 47% são mulheres que saíram das estatísticas de extrema pobreza no estado.

São mulheres e mães, tias, irmãs e avós mato-grossenses que proveem o sustento da casa e educação dos filhos, sem auxílio de um cônjuge e que lutam diariamente para viver com dignidade. Como suporte da família e essencial para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, o Estado definiu como prioridade do Pró-Família beneficiar as mulheres, em especial as chefes de família.

É o caso da diarista Adalmi Moreira Magalhães, 48 anos, moradora de Lambari D’Oeste, pequeno município da região Oeste do estado. Com a filha em tratamento numa clínica de recuperação para dependentes químicos, hoje ela cuida sozinha das duas netas. A diarista conta que com o benefício consegue garantir uma alimentação digna para ela e as crianças. “A gente estava precisando de uma ajuda. Graças a Deus que o Governo olhou pra gente e nossa vida melhorou muito. Agora todo mês a gente tem garantia do que comer, eu e minhas netas”, contou.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 26,8% dos lares brasileiros são chefiados por mulheres. Em Mato Grosso, segundo o órgão, este percentual chega aos 21% e destas, 33,5% possuem filhos menores de 16 anos de idade.

Já informações do Cadastro Único para Programas Sociais (CADUnico) do Governo Federal mostram que em janeiro de 2017 haviam mais de 101 mil famílias chefiadas por mulheres em Mato Grosso, em situação de extrema de pobreza.

Para a secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social, Monica Camolezi, quando se empodera uma mulher, a família toda é fortalecida.  “Quando falamos em empoderamento feminino, devemos ter a ciência que esse processo passa pela autonomia financeira das mulheres, que muitas vezes são dependentes do marido. Então, o Pró-família pensou nessa estratégia em colocar como titular do programa as mulheres, que tem como primeira preocupação a manutenção da casa e cuidado com os filhos”, afirmou a gestora.

Pró-Família

O programa garante não só a transferência de renda, mas o acompanhamento familiar, inserção em projetos sociais e capacitação profissional dos beneficiados, promovendo a inclusão social real e estimulando a autonomia financeira das famílias.

Além disso, a rede de proteção que abrange mais de dois mil profissionais é formada majoritariamente por mulheres. Estas profissionais são fundamentais para o andamento do programa, uma vez que são elas que estão mais próximas dos problemas que afetam a comunidade. Como agentes do programa, elas também têm acesso à qualificação, auxílio financeiro e oportunidade de crescimento profissional.

“Desta forma, o Pró-Família contribui para o empoderamento e dá melhores condições de vida para milhares de mulheres mato-grossenses, sejam beneficiárias diretas, sejam profissionais envolvidas na rede de proteção. É um orgulho fazer parte deste movimento que nos fortalece e valoriza”, conclui Mônica Camolezi.