IDIOMA

 
 
 

SOCIAL

 
 
 
 
 
 
Serviços de A a Z
Sexta, 17 de maio de 2002, 17h06 | Tamanho do texto: A- A+

Dia Internacional do Museu

Ana Cristina

Dia Internacional do Museu

O primeiro museu instalado no Brasil foi o Museu Real (atual Museu Nacional) criado por D. João VI, em 1818

Ana Cristina

Comemora-se sábado, (18/05), o Dia Internacional do Museu. A Secretaria de Estado de Cultura realiza no estado um trabalho de conscientização e orientação sobre a importância de preservar a memória cultural e histórica da região.“A população precisa cobrar das prefeituras, secretarias municipais de cultura e conselhos municipais de cultura que guardem a memória da região, criem arquivo público,uma casa da memória”, afirmou o secretário Jurandir Antonio. Segundo ele, é necessário que se crie um instrumento de proteção para preservação da memória do município.

De acordo com a Coordenadoria de Patrimônio Cultural da Secretaria de Estado de cultura, a palavra museu vem do termo Museion, templo das musas. Os latinos denominavam Museum ao gabinete ou sala de trabalho dos homens de Letras e Ciências. Ptolomeu I, soberano do Egito, deu esse nome à parte do seu palácio em Alexandria, onde se reuniam os sábios e filósofos mais célebres do seu tempo, para se entregar ao estudo das Letras e das Ciências, tendo à sua disposição uma biblioteca que se tornou famosa na antiguidade. Foi esse o primeiro estabelecimento cultural que recebeu o título de Museu.

O primeiro museu instalado no Brasil foi o Museu Real (atual Museu Nacional) criado por D. João VI, em 1818. “O Museu é um espaço dinâmico e ativo, onde acontecem eventos, exposições, palestras. É um local de pesquisa e estudos, com salas específicas para o desenvolvimento de atividades técnicas e artísticas”, esclareceu a coordenadora de Patrimônio Cultural do Estado, Bernadete Durães.

Ela explica que o Museu é um registro de aspectos da trajetória do homem, personagem e agente da História. É, portanto, um órgão de pesquisa e comunicação, mas também um órgão documental, que se caracteriza por manter um tipo de exposição muito especial: a de objetos originais, e, em casos em que isso é impossível, a de reproduções fiéis. “Por que preservar tais objetos? Porque representam o trabalho do homem. O homem é o ser capaz de criar e amar a Arte”, afirmou Bernadete.

Como instituição social, educativa, cultural, é também meio de comunicação, tanto quanto a biblioteca e o arquivo. O trabalho do museu consiste em despertar, formar e desenvolver de modo permanente o gosto do público. A divisão de Museu da Secretaria de Estado de Cultura está estruturada em Museu de História Natural e Antropologia (localizado no Palácio da Instrução), Museu Histórico (Palácio da Instrução) e Museu de Arte Sacra (Seminário da Conceição/atualmente Palácio da Instrução).

Museu de História Natural e Antropologia - Em 1975, com a criação da Fundação Cultural de Mato Grosso (FCMT) o então governador José Garcia Neto sugeriu a instalação imediata dos museus, no Palácio da Instrução, por ser um monumento de significativo valor histórico – cultural.

A FCMT, em 1976, encampou o Museu das Monções (da Codemat), que passou a chamar “Museu de História Natural e Antropologia”. O Museu foi inaugurado a l2 de agosto de l978, expondo coleções de história natural com exemplares da fauna, minerais, fósseis e peças arqueológicas, de caráter regional, todas oriundas do extinto museu.

O acervo de antropologia indígena, que antes estava incorporado ao acervo do Museu Histórico (sala Marechal Rondon e Coleção H.J. Bucker), encontra-se desde 1987 no Museu de História Natural e Antropologia.”As crianças ficam maravilhadas com as peças expostas no Museu. A visita é prazerosa e divertida. Aqui eles vêem réplicas de espécies que não teriam a oportunidade de observar tão próximas”, informou a agente de Museu Marli.

O Museu Histórico foi inaugurado no dia 12 de agosto de 1978. Seu acervo foi montado de forma paulatina, através de doações e comodatos. Este acervo é representativo da história de Mato Grosso, com peças e documentos do período colonial até a República.
O Museu de Arte Sacra, antes de ser um testemunho religioso, é o registro da memória cultural da sociedade luso-brasileira em Mato Grosso. Após a demolição da Catedral, em 1968, todo o acervo, composto de grandes imagens de madeira, alfaias de prata, castiçais, crucifixos e outras peças, foi guardado em um dos salões da atual Basílica. Com a criação da Fundação Cultural de Mato Grosso, atual Secretaria de Estado de Cultura, através de convênio assinado entre o Estado e a Cúria Metropolitana, decidiu-se pela criação de um museu de Arte Sacra, a ser instalado no Seminário da Conceição, em março de 1980, que incorporou o acervo acondicionado na Basílica.

Atualmente, parte desse acervo encontra-se em exposição junto ao Museu Histórico, no Palácio da Instrução, enquanto o prédio do Seminário encontra-se fechado para visitação pública para que se possa ser restaurado.

Recentemente, o Governo do Estado aprovou a proposta da construção do Museu de História Natural e Antropologia de Mato Grosso, em área já reservada do Parque Mãe Bonifácia, com finalidade de abrigar adequadamente todo o acervo anteriormente descrito, o que permitirá a ampliação do acervo existente, a implantação de um centro de estudos e pesquisas com processamentos técnico-laboratoriais e a realização de exposições.

Outro Museu a ser instalado em Mato Grosso, é o Museu que integra o projeto do Memorial Rondon, em Mimoso, distrito de Santo Antonio do Leverger.

Em Alta Floresta, cerca de 800 Km de Cuiabá, no próximo semestre será inaugurado o Museu Estadual de Paleontologia e Arqueologia. A proposta, de iniciativa da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), recebeu apoio do Governo de Mato Grosso, Secretaria de Estado de Cultura, por meio da Lei de Hermes de Abreu.

O museu englobará sala de exposições, laboratórios, biblioteca e auditório, ocupando 1,3 mil metros quadrados de área construída. O Museu Estadual de Paleontologia e Arqueologia será o maior museu localizado no interior do estado. A previsão é de que o prédio do museu esteja concluído no segundo semestre de 2002.

O professor Jesus da Silva Paixão, um dos responsáveis pelo projeto, informou que se pleiteia verba do Ministério da Cultura, para ampliação do auditório que consta no projeto original. A intenção é que esse auditório seja um espaço multiuso, com iluminação, som e toda a infra-estrutura necessária para realização de qualquer espetáculo artístico.

A equipe de pesquisadores envolvidos no projeto está reunindo e catalogando o material descoberto por estudiosos e pela população – especialmente peças cerâmicas e líticas (de pedra). O Museu será um centro de informações, em que a comunidade da região e visitantes possam entender aspectos do passado local.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins:





Clique nos mapas e veja as obras

Mapa de MT Voltar Nova Nazaré São Félix do Araguaia Novo Santo Antonio Cocalinho Luciara Santa Terezinha Canabrava do Norte Santa Cruz do Xingu São José do Xingu São José do Xingu Matupá Terra Nova do Norte Marcelândia União do Sul Feliz Natal Claudia Tabaporã Campinápolis Paranatinga Canarana Novo São Joaquim Sto. Antonio do Leste Nova Brasilândia Santa Rita do Trivelato Araguaiana Torixoreu Ponte Branca Araguainha Tesouro São Lourenço de Fatima Chapada dos Guimarães Porto Estrela Reserva do Cabaçal Vale do São Domingos São José do Rio Claro Nova Maringá Estrada da Baiana Tabaporã Rondolandia Aripuanã Cotriguaçu Nova Bandeirantes nova Monte Verde Novo Paraná
Mais obras do Governo do Estado Trincheira do Zero KM Viaduto do Orlando Chaves Duplicação Ponte Julio Mülher Viaduto UFMT Trincheira Jurumirin - Trabalhadores Trincheira Rua Luiz Felipe Trincheira Santa Rosa e obras complementares Trincheira Santa Isabel e obras complementares Arena Pantanal Trincheira Mário Andreazza e obras complementares Duplicação Rodovia Mário Andreazza COT Barra do Pari Ponte sobre o Rio Pari - Estrada da Passagem da Conceição Duplicação Ponte Mário Andreazza sobre o Rio Cuiabá VLT Complexo Viário do Tijucal VLT Ponte sobre o Rio Coxipó - Beira-Rio/Antõnio Dorileo COT UFMT Viaduto MT-040 Viaduto do Aeroporto Viaduto da Sefaz Trincheira do Despraiado VLT Ponte sobre o Rio Coxipó - Rua do Eucaliptos Reforma e Ampliação do Aeroporto Marechal Rondon Duplicação Parque do Barbado Ponte sobre o Rio Coxipó - rua dos Eucaliptos Ponte sobre o Rio Coxipó - rua Antônio Dorilêo Reestruturação e Revitalização do córrego Mané Pinto Passagem Inferior Trigo de Loureiro Restauração e Duplicação da Av. Arquimedes Pereira Lima