Pular para o conteúdo
Voltar

Feira Cultural movimenta corredores da Arena da Educação

Estudantes abordaram a evolução biológica, mitologia grega, esportes e outros assuntos estudados em sala
Yuri Ramires | Seduc-MT

Junior Silgueiro/Seduc-MT
A | A

Os corredores da Escola Estadual Governador José Fragelli, a Arena da Educação, em Cuiabá, foram tomados por estudantes, profissionais da educação, pais e visitantes, durante a Feira Cultural 2018, que abordou não apenas temas voltados ao esporte, mas também história, cultura e biologia.

Em uma das salas, estudantes do 2º ano do ensino médio abordaram a evolução biológica dos animais. A exposição contou com filhotes de tubarão, sapos e outros animais mantidos em laboratórios – utilizados em pesquisas e estudos – além de duas cobras, que foram as estrelas da mostra, uma jiboia e uma cobra do milho (corn snake).

Maria Vitória, de 17 anos, foi uma das alunas que explicou a vida dos répteis. “A pele das cobras é coberta por escamas, que podem ser lisas ou não. Isso varia também no habitat em que elas vivem, podendo se adaptar dentro d’água e fora dela”, lembrou a estudante.

A professora de biologia, Denize Costa, que coordenou o trabalho, explicou que a ideia surgiu para possibilitar aos estudantes e visitantes da feira o contato direto com os animais.

“Sou bióloga e apaixonada pela minha área, principalmente pela questão da evolução. Então, apresentei o tema aos estudantes, que abraçaram a ideia. Trouxe os animais, já que muitos deles nunca tiveram contato”, contou a professora, que possui as licenças dos órgãos responsáveis para criar as duas cobras.

Oriente

Não muito distante, os estudantes do 9º ano do ensino fundamental nos levaram para uma viagem ao oriente, representados por meio da China e do Japão. A sala de aula foi dividida em dois espaços, onde os alunos trabalharam a história e cultura dos dois países.

Uma das professoras que coordenou o projeto, Letícia Rosa, que ministra aulas de sociologia e projeto de vida, lembra que os estudantes produziram os trabalhos após uma longa pesquisa. Com a sala toda decorada, o ponto alto foi para a réplica da cerejeira, que estava repleta de flores, todas feitas de origami.

“Tudo foi feito pelos alunos e professores, os origamis, por exemplo e as flores de lótus, que na história aparecem no nascimento de Buda”, explicou Letícia. Além das dobraduras, os alunos apresentaram ainda o calendário chinês e suas especificidades.

Já no lado Japão, os estudantes abordaram o tênis de mesa, um dos esportes mais populares do país – que também é ofertado na grade da Arena da Educação, a culinária, quando os visitantes puderam provar Yakisoba, além de uma breve explicação sobre mangá e animes, como Pokémon.

Grécia

Os estudantes do 1º B deram vida ao país berço da democracia, a Grécia. Lá explicaram a simbologia da bandeira e até mesmo de uma das criações mais peculiares dos gregos, o Cavalo de Troia – utilizado pelos gregos para derrotar os troianos.

A mitologia também foi abordada, os estudantes representaram os deuses gregos, tal como: Afrodite, a deusa do amor; Ares, o deus da guerra; Atena, deusa da sabedoria; e Apolo, deus do sol.

A feira contou com a participação de estudantes dos 7º, 8º e 9º anos do ensino fundamental, além dos estudantes do 1º e 2º anos do ensino médio. A atividade é uma das programadas pelo calendário escolar previstas para acontecer no 4º bimestre.

 

 







Editorias